Rio Vivo

Os CBHs da Bacia do Rio Doce estão investindo recursos da cobrança pelo uso da água na recuperação de nascentes, promoção de melhorias no saneamento rural e redução da geração de sedimentos. Através de ato convocatório promovido pelo IBIO – entidade delegatária e equiparada às funções de agência de água da Bacia Hidrográfica do Rio Doce – foram contratadas duas empresas especializadas na elaboração de diagnósticos e projetos em imóveis rurais de municípios priorizados, conforme critérios de vulnerabilidade ambiental.

A iniciativa reúne três ações realizadas pelos Comitês da Bacia do Rio Doce: Programa de Controle das Atividades Geradoras de Sedimentos (P12), Programa de Saneamento Básico (P42) e Programa de Recomposição de APPs e Nascentes (P52). A primeira etapa contempla o diagnóstico das propriedades rurais e os projetos de intervenção ambiental. Posteriormente, com base nas informações coletadas, serão implantados projetos de recuperação de nascentes – por meio do cercamento e revegetação – e de remediação de áreas degradadas geradoras de sedimentos, com foco em barraginhas, além de sistemas de tratamento de esgoto. Na região contemplada com recursos do CBH-Piracicaba, especificamente, também haverá investimentos em sistemas de tratamento de água.

Nessa primeira fase, a expectativa é investir aproximadamente R$ 3,1 milhões, pelo CBH-Piranga; R$ 3,6 milhões, pelo CBH-Piracicaba e R$ 2,7 milhões pelo CBH-Santo Antônio.

CBH-Piracicaba 

Lote 1

Barão de Cocais, Bom Jesus do Amparo, Catas Altas MarianaRio Piracicaba, Santa Barbara, São Gonçalo do Rio Abaixo.

Lote 02

AlvinópolisBela Vista de Minas, Itabira, João Monlevade, Nova EraSão Domingos do Prata.

Lote 03

Antônio Dias, Coronel FabricianoIpatinga, Jaguaraçu, Marliéria, Timóteo e Santana do Paraíso.

 

Informações sobre o Encontro Técnico do RIO VIVO, realizado nos dias 26 e 27 de fevereiro de 2018:

Encontro Técnico RIO VIVO